terça-feira, 25 de julho de 2017

Escócia, dia 2: de Edimburgo a Fort William

Saímos de Edimburgo rumo a Glencoe Locham. A primeira paragem foi num 'restaurante' para esticar as pernas e satisfazer a gula de uns e a fome de outros antes da caminhada pelos trilhos. Sair das cidades é encontrar a Escócia que eu estava à espera: rural, com cores vibrantes e paisagens 'diferentes'. Não desapontou!
O bom de conduzir pela Escócia é achar mil e um lagos e laguinhos onde se quer parar para tirar fotografias (eu), observar pássaros (um amigo), brincar na água (outro amigo) ou esticar as pernas (todos!).
Mais uma paragem para aproveitar a paisagem!
 Finalmente chegámos Glencoe para a caminhada que estava na agenda.
 A quantidade de fotos que tirei neste lago não tem explicação!
Seguimos então em direcção a Fort William, onde iríamos passar a noite, não sem antes pararmos na base do Ben Nevis, a montanha mais alta das ilhas britânicas (~1.3Km) e que atrai pessoas de todo o mundo. Não está nesta fotografia porque só no dia seguinte iríamos passar pela cordilheira do lado 'certo' para ver o Ben.
O jantar, esse, foi em Fort William, num restaurante bem à beira-mar onde nos consolámos com peixe e marisco locais. Tão bom!

domingo, 23 de julho de 2017

Escócia, dia 1: Edimburgo

Começámos o dia com uma visita ao castelo e a recepção mais escocesa de sempre:
 E uma vista bem diferente do dia sombrio da minha última visita em Dezembro de 2012: sol!
Não comprámos os bilhetes online e a espera foi relativamente curta mas imagino que o verão seja uma altura mais concorrida, pelo que talvez seja uma boa opção. Ao todo, passámos cerca de 2 a 3horas no interior do castelo, há imenso para ver, entre exposições e apartamentos reais, especialmente se forem geeks de história!
Às 13h um dos guardas dispara o canhão desde a 'praça' do castelo e foi mais ou menos a essa hora que acabámos a visita e decidimos descer até Grassmarket para almoçar num dos muitos pubs da rua.
À tarde o plano era subir o Arthur's Seat, parece pequeno mas não se deixem enganar, aquilo custa! 
 Mas a vista compensa!
O pior, foi mesmo a descida. Enganámo-nos e escolhemos um caminho que não era um 'caminho' e acabámos perdidos no meio da montanha, com alturas onde pensei que não fazia ideia como andar para a frente ou se voltar para trás opção. Não recomendo: sigam sempre outras pessoas, descer uma montanha sem ser por um 'trilho' é uma péssima, péssima ideia...
No final, fomos a um pub 'afogar' as mágoas.
 Último passeio pelo centro da cidade enquanto esperávamos pela nossa reserva do jantar.
O Petit Paris foi a última paragem do dia para um jantar merecido (e tardio!). Gostámos bastante (e foi aprovado por franceses), recomendo!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Estamos quase

Temos bilhetes. Temos itinerário decidido (mas ainda não marcado). Falta o visto, a consulta do viajante e os voos internos. Claro que antes disso ainda temos os Estados Unidos e os últimos preparativos (confirmar carro de aluguer, ESTA, seguro). Consigo planear viagens a 4 meses de distância mas ainda não me caiu a ficha para a viagem daqui a 3 semanas. Acho que faz falta o efeito visual do email da Virgin Atlantic para me imaginar aqui:
Sim, isto sou eu a motivar-me para os dias de trabalho que aí vêm. Os posts da Escócia e de Viena têm de ficar para o fim de semana quando (hopefully) terei mais tempo.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Roadtrip de 5 dias na Escócia - itinerário e dicas gerais

Está na hora de tentar pôr os posts de viagens em dia aqui no blog (antes que venham mais viagens e isto se transforme numa tarefa complicada, cof cof). A viagem à Escócia não foi programada por mim, embora tenha votado em algumas opções fui em modo 'relax' e sem metade da pesquisa que costumo fazer (há sempre uma primeira vez!). 
O aluguer de um carro é essencial para se deslocarem fora das cidades sobretudo se vão para zonas como a Isle of Skye. Assim sendo, este foi o nosso itinerário que acho que resultou bem para ter uma ideia do país no tempo que tínhamos disponível:

Dia 0: Voo Londres-Edimburgo ao final do dia. Alugámos o carro no aeroporto e seguimos para o alojamento num Airbnb da cidade.
Dia 1: Visita à cidade (castelo e centro histórico de manhã, subida ao Arthur's Seat de tarde). Usámos transportes públicos e Uber uma vez que o estacionamento no centro de Edimburgo é um pesadelo! Segunda noite no Airbnb.
Dia 2: Pequeno-almoço no centro de Edimburgo, mais uma voltinha para souvenirs e início da viagem para Glencoe Locham onde fizemos uma caminhada pelos trails. Estacionámos junto à cordilheira do Ben Nevis e tentámos descobrir qual das montanhas era qual (sem sucesso). Alojamento em Fort William.
Dia 3: Visita ao castelo de Inverlochy (em ruínas). Passámos finalmente pelo lado 'certo' do Ben Nevis! Paragem no Comando Memorial em Spean Bridge. Visita ao castelo Eilean Donan. Paragem em Dornie para almoçar. Conduzir até a Isle of Skye. Trail 'Old Man of Storr' (não deixem de o fazer, é lindo!). Ainda fomos até uma outra parte da ilha para mais umas fotos mas não sei se tenho o nome (vou tentar descobrir para pôr aqui). Alojamento na Isle of Skye.
Dia 4: Visita à destilaria de Talisker. Visita ao castelo de Urquahart no Loch Ness (não recomendo, mas lá iremos no post que lhe é devido). Visita às Plodda Falls (só recomendado a pessoas com muita paciência e nervos de aço para conduzir por aquelas estradas). Jantar em Fort William (por ser a 'civilização' mais próxima do alojamento). Noite numa cottage no Loch Ness (linda, com vista para o lago, mas no meio do nada).
Dia 5: Viagem de regresso até ao aeroporto (umas 5 horas de carro...). Voo de regresso a Londres. 

Fomos no início de Maio e apanhámos 5 dias de sol radioso, o que é um verdadeiro achado! Falei com colegas meus da Escócia e todos concordam que Maio é de facto o melhor mês para visitar o país (ao contrário do verão que traz uma invasão de mosquitos!) por isso fica a dica de quem sabe (eles, não eu, entenda-se).
Seguem-se agora os posts mais detalhados sobre cada sítio (e depois linko tudo a este post, para ser mais fácil). Espero que vos inspirem a visitar este país lindíssimo!

terça-feira, 4 de julho de 2017

O meu 4 de Julho

Gosto da coincidência de partilhar o meu 'work-anniversary' com o dia da independência, que foi aliás o primeiro comentário do meu então futuro chefe. O meu regresso a Inglaterra trouxe-me muito mais do que esperava e apesar de ainda não ter chegado onde quero (sou uma eterna insatisfeita, é certo) a verdade é que este ano merece todo o fogo de artifício que a data pede. Agora, venha a segunda promoção de 2017!

domingo, 25 de junho de 2017

Vapuu e o último dia em Helsínquia

Antes que cheguemos a 2020 vamos lá acabar os posts da viagem à Finlândia e à Estónia no final do mês de Abril. O nosso último dia em Helsínquia foi feriado - o Vapuu, uma celebração que na verdade começa na noite anterior (30 de Abril) com muita bebida e muita gente na rua. Os finlandeses usam uma espécie de chapéu de marinheiro que segundo o que pesquisámos não é mais do que um chapéu de estudante e que se guarda para toda a vida, sendo utilizado todos os anos por esta data (também segundo o nosso guia Google, o chapéu não é suposto ser lavado - blergh - o que resulta num tom amarelado que aumenta conforme a idade do utilizador....).
Achava que tinha tirado fotografias mas não encontro, por isso aqui vai uma imagem da internet:

Começámos o dia bem cedinho na Temppeliaukio Church. Como era feriado, infelizmente não pudemos visitar a igreja por dentro mas tirámos várias fotografias para compensar e "escalámos" toda a parte de fora. Talvez porque não pude ver tudo, não achei nada por aí além. Engraçado, mas that's it
(sim, esconde-se uma igreja por baixo destas rochas)
(não parece mas isto é um plano mais elevado em relação à rua - na verdade é o "tecto" da igreja)
(e a porta principal)

Dali decidimos andar até ao parque com o Sibelius Monument
Basta atravessar o parque e temos direito à Finlândia que eu imaginava: uma casinha vermelha com muita água cristalina em redor. O silêncio e a paz deste café (sim, isto é um café!) foram uma das agradáveis surpresas desta viagem. Não consigo descrever o bem que me soube tomar o pequeno almoço sem turistas, só nós, alguns locais e o som da água a bater madeira. E o pão de canela. Tão bom!
Decidimos continuar ao longo da "costa" para regressar a casa. Encontrámos corredores de fins de semana, pessoas a passear o cão e paz, muita paz. Acho que éramos as únicas turistas da zona!
Já de volta ao centro, decidimos fotografar alguns pontos da cidade mas agora com sol (não faz imenso diferença quando comparadas com as fotografias do primeiro post?). Por ser feriado, havia muita gente na rua mas tirando os cafés e restaurantes nada mais estava aberto.
(o mercado)
(nunca é demais tirar uma foto a patés de rena e de urso, am I right?)
Já no aeroporto, houve "sandes de rena" para a despedida. Tenho a dizer que estava bem boa (se nos abstrairmos de as renas serem super fofas...).
Próximo capítulo: roadtrip na Escócia!